Quer estudar medicina? Conheça as opções para iniciar o curso

Medicina é um dos cursos mais concorridos de todo o país e por isso, quem quer ingressar na área precisa estar atento a todas as opções disponíveis. Você sabe quais as opções que podem levar você a conquistar o sue diploma? Veja a seguir oportunidades que você pode acessar para iniciar o seu curso de medicina:

FIES

O FIES é o maior programa de financiamento estudantil do país atualmente e segundo informações do portal FIES 2020muitos estudantes estão buscando por uma bolsa para o curso de medicina.

Com o FIES, o estudante pode conseguir bolsa parcial ou integral para que possa cumprir com as mensalidades do seu curso. Neste caso, os interessados precisam participar do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e obter nota geral acima de 450 pontos.

Mas vale lembrar que essa pontuação garante somente a possibilidade de inscrição no programa. Para ser aprovado pelo FIES e começar a estudar com condições facilitadas mencionadas, o candidato deve superar a nota de corte FIES para 2020.

PROUNI

Uma outra opção para quem deseja estudar medicina através do ensino particular é o Programa Universidade para Todos (PROUNI), um dos sistemas de distribuição de vagas do Enem.

Como é um dos programas oficias ligados ao Enem, a participação na versão mais recente do exame é indispensável. Além disso, o estudante precisa ter pontuação superior a 450 pontos.

O Prouni também oferta bolsas parciais e integrais, mas vale lembrar que somente estudantes que concluíram o ensino médio na rede pública ou na rede particular como bolsista integral, podem concorrer as vagas disponíveis e começar o seu curso de medicina pelo programa.

SISU

Para quem vai optar pelo ensino público, o programa recomendado é o Sistema de Seleção Unificada (SISU). O estudante pode se inscrever nos dois semestres de distribuições de vaga do Sisu com a mesma nota no começo e no meio do ano letivo.

Vale mencionar que o programa é responsável por algumas das notas de corte mais altas do país, principalmente para o curso de medicina. Entretanto, o estudante tem a opção de ficar na lista de espera, caso a sua nota esteja bem próxima da nota de corte final.

O Sisu também conta com o sistema de cotas para distribuir suas vagas e se o estudante estiver dentro dos requisitos, ele também pode concorrer nessa modalidade. O sistema fica disponível algum tempo depois da divulgação de nota do Exame Nacional do Ensino Médio.

Bolsonaro corta orçamento de programas sociais em 2020

O Governo Bolsonaro ficou marcado por mudanças bem radicais e essas modificações vão ser ainda mais significativa para alguns brasileiros. Isto porque, os programas sociais serão um dos principais afetados pela redução de verba do governo atual. Veja a seguir um pouco mais sobre os programas que sofrerão cortes em 2020:

Bolsa Família

O Bolsa Família foi um programa criado para auxiliar financeiramente algumas famílias que se enquadram em suas categorias de transferência de renda.

As categorias são duas: a primeira para extrema pobreza, na qual a família deve possuir renda máxima/ e o segundo p de R$89.00 por pessoa para pobreza, no qual a família deve possuir renda média entre R$89,00 e R$177.

Quem está de olho nas datas de pagamento Bolsa Família 2020deve saber que o programa foi um dos que mais sofreu com o corte de verbas do Governo Bolsonaro.

Diferente dos outros programas que também foram afetados pelas modificações do Governo Bolsonaro, o Bolsa Família tem a previsão de receber os mesmos R$20 bilhões do último ano.

A diferença será na proporção do programa, que estará beneficiando um determinado número de famílias com uma maior manutenção das bolsas.

Minha Casa Minha Vida

O Minha Casa Minha Vida é um programa habitacional que foi instalado durante o Governo Lula com o intuito de auxiliar as famílias de renda baixa e média a conquistarem o sonho da casa própria.

O programa é gerenciado pela Caixa Econômica Federal e proporciona subsídios e condições de financiamento exclusivas para as famílias que se encaixam nas faixas do Minha Casa Minha Vida.

De acordo com o Governo, a média de orçamento para o programa nos últimos anos era de R$11,3 bilhões para auxiliar as famílias a comprarem um imóvel com condições especiais.

Entretanto, o governo indica que é improvável continuar com essa verba considerando o andamento dos cofres públicos para 2019 e 2020.

FIES

O Fies é um programa de financiamento estudantil que vem proporcionando bolsas de estudos para diversos jovens e adultos que desejam ingressar no ensino superior.

Este será outro programa do setor educacional afetado pelo corte de gastos do atual Governo e isso irá repercutir na redução de vagas disponíveis.

O Fies é conhecido por possuir os juros de financiamento mais baratos do mercado e possuir um longo prazo para o estudante retornar o investimento oferecido.

É importante enfatizar que o programa não chegará ao fim, mas o corte estará afetando diretamente nas oportunidades oferecidas aos bolsistas.

Fonte: https://bolsafamilia2020.com.br

Saiba como funciona o 13° pagamento do Bolsa Família

Originado da unificação dos projetos sociais do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a Lei Federal N. 10.836 em 9 de janeiro de 2004 instituída no Governo Lula criou o programa Bolsa Família. O programa tem como objetivo a transferência de recursos para auxiliar famílias pobres com renda per capta entre R$ 89,01 e R$ 178,00, e famílias de extrema pobreza, ou seja, que possuem renda de R$ 89,00 por pessoa.

De acordo com o governo, o programa Bolsa Família atende aproximadamente 14 milhões de famílias no Brasil. Os valores pagos variam de acordo com a situação da família, considerando a renda mensal, se há a gestantes na família e a quantidade de crianças na casa.

A proposta de pagamento do 13º salário do Bolsa Família é uma promessa de campanha do atual Presidente Jair Bolsonaro, que anunciou a iniciativa confirmando o pagamento para o mês de dezembro.  Ministério da Cidadania afirma que a iniciativa custará R$ 2,58 bilhões, e segundo o Ministro “Uma ata da junta orçamentária já reservou os R$ 2,5 bilhões para pagar o Bolso Família”.

Para participar do programa Bolsa Família, é necessário está inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo. Além de atender os requisitos de renda, seus dados devem estar atualizados há menos de dois anos.

Caso haja alguma alteração de dados no endereço, telefone ou mudanças na constituição da família como morte, nascimento, adoção, separação, entre outros, é necessário sempre mantê-los atualizados na prefeitura. O cadastro é primordial para o recebimento do benefício. Após a realização do mesmo, você pode ficar por dentro das datas de recebimento consultando o calendário Bolsa Família 2020.

Vale ressaltar que as inclusões muitas vezes não acorrem de imediato, nem o recebimento do benefício, antes é confirmado os dados. Após a análise, o Ministério da Cidadania transfere o valor mensalmente as famílias aptas. Para aquelas interessadas em receber o 13º salário do Bolsa Família 2020 é válido procurar o prefeitura de sua cidade para mais informações.

O que é e como funciona o impostômetro?

Como você já deve saber, o cidadão brasileiro precisa cumprir anualmente com diversos impostos que garantem o funcionamento dos órgãos públicos e, na teoria, a manutenção dos serviços para a população. Sendo assim, podemos afirmar que os impostos são importantes, além de serem obrigatórios.

Por isso, é importante saber onde nós estamos contribuindo e de que forma verba arrecada é utilizada. A criação de recursos como o impostômetro é capaz de garantir essa informações ao brasileiro. Saiba do que se trata a seguir:

O que é o impostrometro?

Existem diferentes impostos que são cobrados anualmente dos brasileiros e eles são divididos em categorias de acordo com a sua função. Essas taxas são obrigatórias e em alguns casos, o contribuinte que deixa de cumprir com um dos valores pode acabar saindo bastante prejudicado com juros e multas.

Para quem possui um carro no Brasil, será cobrado em breve o IPVA 2020referente ao Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores. Enquanto isso, para quem possui um imóvel, o imposto em questão é o  Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

Teremos ainda, um valor referente as tributações de cada contribuinte, em que é necessário declarar os valores anuais. Este valor é de responsabilidade do Imposto de Renda.

Todos os valores mencionados são obrigatórios, mas como seria possível ter o controle dos números? É neste ponto que o impostrômetro funciona, sendo capaz de registrar um total de impostos pagos pelos brasileiros.

Como o recurso funciona?

O principal objetivo do impostômetro é fazer um cálculo geral das contribuições arrecadadas, somando todas as taxas que são cobradas do nosso bolso. Nem todo mundo conhece a possibilidade de acessar esse recurso e por isso, o total arrecadado pelo Governo anualmente não é de conhecimento geral.

Os órgãos responsáveis pela cobrança desses valores, como a Receita Federal com o Imposto de Renda, precisam enviar para o sistema do impostrometro os dados de arrecadação do imposto.

O valor registrado é sempre uma projeção,  baseada na especulação de recebimento dos impostos em questão. A margem de erro é corrigida posteriormente. Vale mencionar ainda que todos os anos, no dia 1° de janeiro, este painel que registra os impostos é zerado para registrar os dados do próximo ano.

O recurso do impostômetro é fundamental para que nós brasileiros possamos cobrar assistência e serviços por parte dos órgãos devidamente responsáveis, e pode ser visualizado por qualquer pessoa acessando a plataforma oficial do impostômetro.

5 vantagens em fazer visita técnica com seus alunos

As aulas teóricas são fundamentais, mas são nos momentos práticos que os alunos se identificam com o conteúdo. A fim de trazer uma proposta mais leve para a sala de aula, muitos professores propõem visitas técnicas em diferentes locais. O objetivo é que os estudantes assimilem melhor as aulas, reconhecendo o que foi introduzido anteriormente.

Onde fazer visita técnica com alunos

O local em que a excursão e visita devem acontecer, dependem dos conteúdos que estão sendo trabalhados com os alunos. E ainda, suas idades e grau de conhecimento.

Para as crianças, por exemplo, é preciso ir até um local em que a linguagem é mais fácil e há monitoração. Enquanto que os jovens entendem palavras e conteúdos mais complexos. Veja exemplos:

Ciência / Biologia:

  • Zoológico;
  • Aquário;
  • Cachoeiras ou parques protegidos por leis ambientais.

História:

  • Museus;
  • Exposições de artes.

Língua Portuguesa / Literatura:

  • Museu da Língua Portuguesa;
  • Bibliotecas.

Artes:

  • Teatro;
  • Cinema;
  • Circo.

Educação Física:

  • Ginásios;
  • Competições esportivas.

Como funcionam as aulas com visita técnica

A visita da turma pode ser feita dentro da própria escola, conhecendo por exemplo, a horta ou a cozinha. Mas, antes de qualquer início é preciso agendar o comparecimento desses alunos até o local desejado.

E ainda, incluir essa proposta no planejamento escolar para aprovação da coordenação e diretoria. Em seguida, será preciso iniciar o assunto dentro da sala com textos, exercícios e toda a base teórica que é necessária.

As visitas técnicas reúnem o grupo em um local para estudo do conteúdo aplicado. Conhecendo de perto quais as funcionalidades do que foi trabalhado em classe. Os alunos podem fazer um relatório pós visita para indicar o que aprenderam a respeito.

É importante que esse momento seja supervisionado por um profissional que conheça a área, a fim de dar todas as informações necessárias sobre o local. Trazendo conhecimento aos estudantes e professores.

5 vantagens da visita técnica

Claro que cada professor conhece sua turma e sabe qual a necessidade de introduzir a prática ao conteúdo. Por isso, essas aulas devem ser muito bem planejadas para que não hajam erros.

Os pais dos alunos menores de idade devem autorizar a saída da escola, e se necessário arcar com os custos referente a transporte, alimentação e ingresso da visita.

A experiência vale muito a pena, veja 5 das principais vantagens desse tipo de proposta:

  1. Os alunos poderão colocar a teoria em prática;
  2. Contato direto com o conteúdo, podendo vivenciar o que foi estudado;
  3. Conhecimento válido como atividade extracurricular, podendo fazer parte do currículo dos jovens;
  4. Ampliação de ideias e conhecimentos;
  5. Valores pessoais e profissionais, podendo despertar vocações.